Atendimento telefônico: 48. 3234-7247 ou 48. 3364-7247
Somos feitos de ideias. Cresça conosco.
 

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (Obrigatório)

Seu telefone (com DDD) (Obrigatório)

Assunto

Mensagem

captcha

Reconhecimento

Desde 2007 entregando o melhor conteúdo para o crescimento das farmácias e farmacêuticos magistrais.

Siga-nos

Nosso Endereço

Rua Santa Luzia 100
The Place Office Sala 206
Florianópolis, Ilha da Magia SC
Brasil

Telefones: 48. 3234-7247  | 3364-7247
Email: [email protected]

  • Modelo 01

    ARTES ESPECIAIS PARA FARMÁCIAS ESPECIAIS EM DATAS ESPECIAIS

    - by Regis Luiz

    ARTES ESPECIAIS PARA FARMÁCIAS ESPECIAIS EM DATAS ESPECIAIS
    Você já pensou na arte que vai divulgar para as FESTAS DE FINAL DE ANO?

    Datas especiais costumam criar laços afetivos e cultivar os relacionamentos que queremos que sejam duradouros. Nada melhor do que marcar essa data com uma lembrança tradicional: Cartões comemorativos com a logomarca de de sua farmácia.

    💌

     

    Modelo 02

    Modelo 03 

     

    Modelo 04

     

    Modelo 05

     

    Como funciona? 
    – Você escolhe a arte ou as artes que mais lhe agradam entre os modelos acima.
    – Nos envia a logomarca de sua farmácia em formato Corel.
    – Nós editamos a imagem para você. Pronto.
    – Basta imprimir ou postar, ou enviar por e-mail para quem você desejar.
    Simples e muito eficaz.

    Valor: R$ 29,90 cada arte.  😍

    Pedidos até nomáximo dia 15/12/2017.

    Clique AQUI para fazer seu pedido.


  • Conteúdo Magistral

    AULA EXCEPCIONAL SOBRE VISITAÇÃO MÉDICA. PRINCIPALMENTE EM CIDADES PEQUENAS:

    - by Regis Luiz

    Um mercado diferente: Situado num meio-termo entre o mercado de produtos de consumo e o de produtos industriais, o mercado farmacêutico apresenta características de ambas, simultaneamente.

    Vejamos quais são essas características especiais:

    a) é um dos únicos mercados em que o consumidor final não decide a compra, embora seja ele quem execute o ato de comprar. De fato, na maioria dos casos, é o médico quem decide a compra ao receitar o medicamento no final da consulta. Portanto, é a ele e não ao consumidor, que é necessário convencer sobre a qualidade do produto;

    b) a decisão de compra (receita) é tomada em hora e local diferentes do ato de compra. Essa decisão de compra, feita pelo doutor, pode ser alterada no ato da compra como, por exemplo, pela influência do balconista da farmácia, que pode oferecer ao consumidor “a mesma coisa, muito melhor e bem mais em conta”; mas isso não se aplica, por exemplo:

     

     

     

    no caso dos manipulados;

     

     

    c) a escolha por parte do médico de um medicamento e não de outro igualmente correto, é feita com base estritamente racional;

     

    d) embora existam cerca de 432 mil médicos registrados no País é extremamente raro encontrarmos em determinada hora e local um agrupamento de médicos em situação de disponibilidade para a recepção da mensagem do fabricante. Por outro lado, o uso dos meios de comunicação de massa para a divulgação de produtos farmacêuticos, destinados ao grande público, salvo raras exceções. Daí decorre a mais paradoxal característica do marketing da indústria farmacêutica: na era da comunicação de massa, a propaganda de produtos farmacêuticos tem de ser feita nos moldes medievais do contato homem a homem. É a mal compreendida visita médica, na qual o propagandista do laboratório procura o médico no seu consultório, no ambulatório ou nos corredores do hospital e dá seu recado da melhor maneira possível.  

    A visita médica é indispensável por ser praticamente o único meio de que dispõe o médico, principalmente o do interior, para se manter atualizado quanto aos progressos da farmacoterapêutica.

     

    Eliminados os veículos de comunicação de massa, restam os recursos da mala direta (envio de material promocional pelo correio) e anúncios veiculados em revistas especializadas de circulação dirigida ao médico. Ambos são bastante utilizados pelos laboratórios, mas revelaram-se incapazes de substituir a visita médica. Sendo o produto farmacêutico um assunto eminentemente técnico, cuja argumentação de vendas deve ser de ordem racional, esses dois recursos têm-se revelado incapazes de substituir o diálogo com um profissional especializado, como o propagandista de laboratório, durante o qual ocorre a oportunidade de perguntas e respostas informais e esclarecimentos oportunos sobre eventuais dúvidas que o médico possa ter. A mala direta e o anúncio em revista especializada têm sua utilidade como lembrete, reforçando um comportamento já adotado pelo doutor, mas dificilmente um médico responsável começará a prescrever um produto baseando-se apenas na comunicação recebida através daqueles dois veículos promocionais;

    e) No mercado farmacêutico há poucas alternativas. A única venda saudável é a que tem origem direta ou indireta no receituário médico.


    Embora com fortes concentrações regionais que provocam um desequilíbrio em favor das grandes cidades, o índice brasileiro é de 2,11 médicos por grupo de 1.000 habitantes. É comum um médico possuir poucos clientes no consultório particular, mas atender a 25 pacientes em quatro horas de trabalho no ambulatório do SUS, por exemplo.

    Muitas vezes um médico de bairro, com clientela de baixo poder aquisitivo, atende a mais pacientes do que um médico famoso com consultório luxuoso freqüentado por uma elite.

     

    Um médico recebe, em média, cinco propagandistas por dia e, salvo casos excepcionais de apresentação de produto novo, não permite que cada um fale mais de três minutos, em vista da exigüidade e preciosidade de seu tempo. Esses três minutos permitem a argumentação em tomo de um máximo de três produtos, além da entrega de amostras de dois ou três outros produtos já sobejamente conhecidos.

    A necessidade de aproveitar da melhor forma possível esses caríssimos três minutos mensais, com cada médico, levou os laboratórios a aperfeiçoarem ao máximo a técnica de transmitir uma mensagem racional capaz de despertar a atenção do visitado, no sentido de diferenciar um produto do concorrente e capaz de fixar essa mensagem pelo menos por algum tempo. Inicialmente, é necessário despertar a atenção do médico para o discurso que se seguirá, através de um problema terapêutico concreto para o qual não se achou ainda uma solução. Por exemplo, em certas indicações, os medicamentos existentes produzem efeitos colaterais, dos quais os pacientes costumam queixar-se para o médico; o propagandista apresenta, então, um produto com os mesmos valores terapêuticos dos de seus concorrentes, mas com a vantagem de não produzir os efeitos colaterais, graças a uma nova fórmula de composição.

    Despertada a atenção do médico, é preciso informá-lo racionalmente sobre as razões pelas quais o produto é mais eficaz que os concorrentes ou porque não apresenta algumas de suas desvantagens. Finalmente, a partir do momento em que o médico se convence das razões pelas quais em tais indicações ele deve receitar “nosso” produto e não de outro, é preciso insistir sobre as diversas formas de apresentação e a posologia recomendada para cada caso, para que ele não se engane ao prescrevê-lo.

     

     

    Em vista desses fatos, torna-se evidente a grande importância do uso dos folhetos promocionais por parte do propagandista. Por meio desses recursos, a visita médica torna-se uma verdadeira apresentação audiovisual dos produtos oferecidos, em que a exposição oral do propagandista e as imagens e palavras dos folhetos devem-se completar na consecução do alvo.Simultaneamente, o folheto, além de funcionar como um roteiro do speech do propagandista, no qual ele se apoia em caso de dúvida, tem ainda a virtude de permitir certa padronização da mensagem da visita médica.

     

     

     

     

    Na medida em que os laboratórios vão sendo obrigados a aprimorar cada vez mais as técnicas de propaganda através da visita médica, pressionados que são pela concorrência acirrada, há a tendência de os médicos tornarem-se cada vez mais exigentes quanto ao conteúdo das mensagens, e menos dispostos a perder seu precioso tempo com trivialidades.

     

    Não devemos esquecer que, embora cerca de metade dos médicos, principalmente os de pequenas cidades, sejam clínicos gerais, a outra metade distribui-se entre as diversas especialidades médicas (ginecologia, cardiologia, psiquiatria, pediatria, etc). Em conseqüência disso, e também porque o tempo disponível da visita só permite a abordagem de poucos produtos, a mensagem de cada produto deve ser adequada às necessidades de cada especialista visitado. 

    O gerente de visitação médica é um profissional indispensável para o sucesso dessa atividade que toma maior parte do seu tempo, a criação, redação e produção do material promocional a ser utilizado pela equipe de propagandistas e providenciar para que esse material promocional, juntamente com as amostras, os gerentes treinam suas equipes sobre o plano promocional que se desenvolverá nos próximos 30 dias.

     

    A elaboração desse material promocional exige grande esforço de criação, pois nem sempre é fácil encontrar um tema de interesse para o médico sobre um produto já bastante conhecido. O bom gerente de propaganda é, portanto, um profissional qualificado, uma vez que dele se exige, simultaneamente, grande criatividade, boa base científica que lhe permita compreender a fundo os produtos do laboratório e suas características, e bastante conhecimento de visitação médica.
    A começar pela própria terminologia utilizada, a propaganda de produtos farmacêuticos tem características tão especiais que dificilmente uma agência de propaganda pode desempenhar com sucesso a parte de criação.

    Por esta razão a criação das campanhas promocionais costuma ser feita pelos departamentos de propaganda dos laboratórios, assim como a coordenação da produção desse material promocional. A alternativa mais economicamente viável é através de empresas especializadas em consultorias.
    A visitação médica vale a pena e é o único motor capaz de alavancar as vendas de forma continuada e sustentável a longo prazo de uma farmácia ou laboratório. Para isso é necessário ter em mente que essa atividade tem que ser obrigatoriamente regular e anualizada, ou seja, faça parte do planejamento anual de cada farmácia para que se torne realmente uma fonte de recurso substancial no faturamento.

    Autor: Luiz Fernando Kiehl, Gerente de produtos dos Laboratórios Lepetite S.A. e editor da revista Rassegna Médica e Cultural.

     

     

    Imagens: shutterstock.com

  • Coisas de Farmacêutico

    RESUMÃO MAGISTRAL: As diferenças entre Nutricosméticos-Nutracêuticos-Cosmecêuticos

    - by Regis Luiz

    As diferenças entre nutricosméticos-nutracêuticos-cosmecêuticos

    Cosmecêuticos: 

    Falamos de cremes, loções, pomadas e outros itens de uso tópico, isto é, externo. Voltados para casos que demandam maior atenção, como acne e celulite severas.

    Nutricosméticos:

    Aqui, o foco é puramente estético. No entanto, lançar mão desses produtos de uso oral (em cápsulas, sachês…) às vezes repercute em outras áreas do organismo.

     

    Nutracêuticos

    São suplementos que dão ênfase à saúde em geral. Aliados de quem comete deslizes na alimentação, podem dar força na prevenção de doenças e na melhora da disposição.

     

     

     

    Fonte: saude.abril.com.br

     

     

     

     

     

  • Visitação Médica

    Perguntei se a dermatologista recebia visitas de farmácias de manipulação eis a resposta:

    - by Regis Luiz

    Perguntei se a dermatologista recebia visitas de farmácias de manipulação…

    Por necessidade particular, entrei em contato com duas farmácias de manipulação de Floripa, orcei uma formulação simples de minoxidil a 3% na base de gel, ambas me passaram o valor, com diferença de 8 reais de uma para a outra. Então perguntei se faziam visitas aos prescritores, ambas comentaram que não, devido a situações particulares e dificuldade em chegar nos prescritores. Decidi então ir a uma dermatologista, sem hora marcada, consegui um encaixe, fiz minha consulta e durante a analise, percebi muitas, mas muitas amostras da indústria disponíveis no consultório da mesma.

    Perguntei então se ela recebia visitas de farmácias de manipulação eis a resposta:

    ” Tive apenas uma ou duas, vieram todas empolgadas, mas logo pararam de visitar, queria mais vezes pois tenho dificuldade de saber quanto prescrever.” Logo comentei que gostaria que ela me prescrevesse Minoxidil 3% com base de Gel e algum ativo que não ressecasse a pele. Ela não soube muito o que prescrever, colocou a minha sugestão, mas sem o produto para ressecamento, acabou mandando outro produto complementar, sem a associação no mesmo frasco, disse que iria auxiliar.

    Ela tem dificuldade em prescrever manipulado, e só de industrializado me prescreveu mais de R$ 250,00 reais. Ofereci a possibilidade de fazer o pedido para um representante de farmácia de manipulação visita-lá,ela ficou bem feliz e disse que não entende por que eles não fazem isso sem precisar pedir, disse ainda: “sem eles não conseguimos acompanhar todas as atualizações de mercado”…

    Pergunto então… “o mar não está pra peixe, ou muitas farmácias estão jogando a toalha ao invés de jogar a rede.” é complicado visitar mediante tantas situações? Sim concordamos, mas tente Você visitar 10 prescritores de modo frequente e comprove o seu retorno financeiro junto aos mesmos.

    Neste caso os medicamentos manipulados saíram por R$ 48,00 e os demais produtos industrializados ficaram por R$ 263,00.

     

     

     

    Esrito por Thiago Puttzel

     

     

     

     

    >>>>>>>>>>> Combo 01 – Dermatologia

    • Formulário Dermatologia Clínica Geral;
    • Peelings Exclusivos e Inovadores;
    • Formulário Formulações Orais Líquidas Padronizadas (Vol. 1);
    • Formulário Fotoprotetores Médicos UVA/UVB Balanceado;

    >>>>>>>>>>>> Formulário Autobronzeadores manipulados.

    Várias fórmulas para apresentar aos prescritores.

  • Visitação Médica

    MUNDO MAGISTRAL: Farmácia de Manipulação relata aumento de 25% no faturamento

    - by Regis Luiz

    Querida pessoa, convido você a conhecer mais um case de sucesso em visitação médica: Em uma cidade com pouco mais de 90 mil habitantes, Claudia, proprietária a mais de 20 anos de uma farmácia de manipulação decidiu contratar um visitador para realizar um importante processo para a o seu faturamento. Depois de entrevistas gerais ela contratou um propagandista com experiência de 22 anos na indústria (era certo que ele seria um excelente propagandista).

    Em conjunto com a contratação do propagandista, Claudia também optou por contratar uma assessoria que lhe desse suporte e material científico para auxiliar no dia a dia da execução das visitas, Claudia contratou a Pharmaceutical.

    Transcorridos dois meses na assessoria, entramos em contato para agendar o treinamento por teleconferência, antes disso Claudia achava que para o propagandista com mais de 22 anos de experiência não havia tal necessidade, mas ao conversar com o consultor e treinador, ela identificou uma série de processos que não desenvolviam.

    No treinamento foi repassada a importância de um profissional seguro e preparado, fato que ela comprovou quando o propagandista comentou ter MEDO e VERGONHA de levantar alguns assuntos, tendo que “apelar” para brincadeiras e distrações para MANTER E RELACIONAR-SE COM O PRESCRITOR. Nosso treinamento é focado na realidade magistral, nas particularidades do mercado magistral.

    Dessa forma sugerimos o DIA DO ESTUDO, onde o FOCO EM PREPARAÇÃO E COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES dentro da farmácia. Como uma simulação para o jogo real.

    ⇒ Hoje:  após três meses desse treinamento, mantemos uma conversa onde o visitador consultivo trás as conquistas, vitórias e ganhos frente aos prescritores, bem como os novos medos e barreiras as quais aos poucos vamos entendendo e dando sugestões. Relatou que se sente mais seguro, preparado e abre diálogos com os especialistas, bem como nota-se a diferença entre o MUNDO MAGISTRAL e a INDÚSTRIA.

    Relatou ainda que alguns especialistas notaram a evolução e o agradeceram por passar a ORIENTAR sobre a diferença da prescrição para Farmácia de Manipulação, resultando em um AUMENTO DE FATURAMENTO de 25% para a farmácia de Claudia.

    Parabéns para os envolvidos.

    E você, quer saber como implantar uma estratégia similar? Você tem o hábito do DIA DO ESTUDO para seu propagandista?

     

  • Visitação Médica

    17 dicas IMPORTANTÍSSIMAS para PROPAGANDA MÉDICA na prática

    - by Regis Luiz

    17 dicas IMPORTANTÍSSIMAS para PROPAGANDA MÉDICA na prática

    DICAS PARA MELHORAR PRODUTIVIDADE:

    1- Chegar sempre 15 minutos antes do horário agendado para o 1º médico;

    2- Arrumar a mala de propaganda (e a de apoio), na sequencia e de acordo com as especialidades agendadas, ex.: 01 Geriatria;  02 Pediatria, 03 Clínica Geral, 04 Endocrinologia… etc.

    3- Colocar nas malas, todo o material (literaturas, AG´s, brindes, etc.) disponibilizados pela empresa, evitando esquecimentos;

    4- Utilizar o tablet de forma adequada, ou seja, consultar as visitas anteriores, sempre que necessário, e lançar as visitas realizadas, logo após sair do consultório, ou enquanto aguarda para visitar o próximo médico, dessa forma, evita-se o esquecimento e o acúmulo de tarefas;

    5- Levar sempre na mala de propaganda, a estratégia promocional, para ler, estudar enquanto aguarda para visitar o próximo médico;

    6- Conhecer e ter domínio sobre todo o material promocional, bem como, explorá-los de forma produtiva, levando aos médicos os benefícios apresentados por nossos produtos;

    7- Eliminar vícios de linguagem, ex.: é o que tenho para hoje; é a nossa mensagem; conto com seu apoio; como estamos de lembrança; tá jóia; tá ok; lembro verbalmente, etc.

    8- Mostrar entusiasmo através do TIMBRE DE VOZ, firme e claro;

    9- Mostrar-se seguro frente aos médicos visitados, transparecendo credibilidade nas informações;

    10- ESTUDAR SEMPRE E TREINAR BASTANTE;

    11 – Prestar muita atenção nas reuniões de ciclo, procurando tirar dúvidas e absorver informações úteis, dos Gestores, farmacêuticos e propagandistas mais experientes;

    12 – Realizar propagandas com mais conteúdo, e não apenas encerrar entregando AG´s, ex.: finalizo lhe deixando o produto x.

    → Correto: Finalizo com o ativo manipulado x, que apresenta uma tecnologia exclusiva, onde o creme tem formulação de pomada, podendo ser usado em lesões secas e úmidas, e por se tratar de um produto a base de hidrocortisona, o ativo manipulado x, apresenta menor risco de efeitos colaterais tópicos e sistêmicos, diferente de outros corticóides, sendo bastante seguro para uso pediátrico e também podendo ser usado na face, etc.

    13 – Anotar todas as alterações observadas no roteiro, adaptações de roteiro, anotações importantes sobre os médicos e ao final da semana, fazer as devidas correções no roteiro original, para que no próximo ciclo, ao imprimir o roteiro, o mesmo já esteja devidamente atualizado;

    14 – Chamar o médico sempre pelo nome, e não apenas de Dr.

    15 – IMPORTANTÍSSIMO: Manter freqüência e seqüência nas visitas médicas;

    16 – Falar o máximo possível o nome do ativo manipulado, durante a propaganda médica.

    17 – Utilizar sondagens (abertas e/ou fechadas) para prender a atenção do médico e evitar que o mesmo se distraia enquanto você propaga.

    → Ex.: O Sr. Sabia que muitos médicos prescrevem a substância Ginkgo Biloba, pensando em beneficiar os pacientes com a prescrição de um genérico que teoricamente custaria menos? E sabia também que não existe genérico de Ginko Biloba? O Sr. Sabe o que significa extrato padronizado de Ginkgo Biloba e quais seus benefícios?

     

    Autor: Rostand Farias, propagandista.

     

  • Coisas de Farmacêutico

    O impacto das EMBALAGENS e do RÓTULO na decisão de compra do consumidor

    - by Regis Luiz

    Pele sensível é tendência em Beleza:  O clima tropical do Brasil pede que a população cuide bastante de sua pele por causa dos raios ultravioletas. Mesmo aqueles que poucos vão à praia precisam cuidar do corpo e rosto que acabam sofrendo danos ainda que de incidência de luz incandescente. O número de pessoas que vem buscando orientação médica por causa de sensibilização da pele vem aumentando. Quase a metade dos brasileiros afirmam possuir pele sensível tanto do rosto quanto do corpo, segundo a pesquisa Life Insights – Beauty and Care Report, encomendado pelo Minha Vida.

    Os homens afirmam mais do que as mulheres (46,1% contra 44,3%) de precisarem de cuidados específicos. Mais que reforçar lançamentos é preciso trabalhar a comunicação desse tipo de produto para que se perceba o valor e efeitos deles, já que as prateleiras de lojas possuem uma infinidade de opções ao consumidor.

     

    O impacto das embalagens e do rótulo na decisão de compra do consumidor:

    Estudos comprovam que o
    consumo faz parte das necessidades básicas dos indivíduos, logo todos se tornam consumidores de
    produtos para a sua sobrevivência.

     

    Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Santa Maria no Rio Grande do Sul demonstra o impacto da embalagem e do rótulo na decisão de compra do consumidor:

    Conforme visto, para 95% dos entrevistados nesta pesquisa responderam que a embalagem chama atenção, deste mesmo grupo 76% acreditam que entre produtos com a mesma finalidade, experimento uma marca nova que possua uma embalagem mais bonita, atraente e prática, o que deixa bem claro que o consumidor é convidado a conhecer novos produtos pela embalagem e esta por sua vez persuade este consumidor que vem a efetuar a compra com o propósito de conhecer o produto apenas uma embalagem chamativa.

    A percepção do consumidor mediante a embalagem deixou claro que a embalagem por si é muito representativa levando 66% da amostra concordar com a questão, porém uma quantidade significativa (23%) avaliou que embora a embalagem não esteja de acordo com as leis, estes continuam comprando o produto. Desta forma o importante é adequar produto e embalagem com boa qualidade, no seu desenvolvimento definindo os elementos adequados reunindo matérias-primas, processos produtivos, economias na fabricação, transporte, associado à qualidade do produto, pois realmente a embalagem influencia a decisão de compra do consumidor.

    Um total de 88% dos entrevistados concorda que a funcionalidade, design e praticidade são fatores essenciais em uma embalagem. O percentual de 84% concorda que a cor determina sim sensações podendo despertar sentimentos como fome, limpeza, calor e frio, podendo atrair ou repelir o consumidor, sendo este fator que pode ser determinante também na decisão. Um total de 79% da amostra demonstra estar preocupados os que em situações futuras deixem de comprar produtos pela necessidade não visando o que irá ser feito com a embalagem após utilizá-lo.

    Já o rótulo revela que 70% da amostra, antes de comprar um produto, costumam ler as informações nele contidas: marca, endereço do distribuidor, serviço de atendimento, informações nutricionais e validade. Logo, a influência que a embalagem exerce sobre o consumidor na hora de adquirir o produto, tem grande relação com seu rótulo, pois muitas vezes a compra pode ser decidida através das informações nele contidas.

     

    Case
    Com foco no público de pele sensível, a marca inglesa Simple chega ao Brasil em outubro com 12 os produtos entre água micelar, tônico facial, sabonete, lenço de limpeza, demaquilanete, hidratante facial e desodorante. Os itens serão vendidos em farmácias e lojas de cosméticos no Brasil. A marca, adquirida pela Unilever em 2012, tem mais de 60 anos no mercado de cosméticos para pele sensível. Ela é famosa no Reino Unido por não usar corantes, fragrâncias, óleo, álcool e outros ingredientes responsáveis pela maior parte das alergias da pele.

     

    A Pharmaceutical desenvolve layout para rótulos de embalagens de produtos manipulados, conforme a imagem de capa desta matéria. Consulte-nos para orçamentos.

     

    Fonte: Mundo do Marketing

  • Visitação Médica

    Passo a passo para VISITAÇÃO MÉDICA na prática por FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO

    - by Regis Luiz

    VISITAÇÃO MÉDICA NA PRÁTICA

    Segundo pesquisa recente, cerca de 73% dos empresários magistrais afirmam que a intensificação da visitação médica proporciona aumento significativo no faturamento da farmácia.

    O processo de visitação médica é bastante simples, quando planejado para tal. Deve ser encarado como um motor indispensável para o bom funcionamento do faturamento a farmácia e também do relacionamento de longo prazo com os prescritores para garantir sustentabilidade e perpetuar a relação entre farmácia e médicos.

    Vamos aos passos:

    1 – Definir junto à equipe quem será o propagandista (não é necessário ser farmacêutico, pode ser o dono da farmácia – bastante recomendado pelo relacionamento e por ser quem melhor “vende” sua farmácia –  pode-se treinar alguém dentro da equipe). Não há necessidade de num primeiro momento criar uma área específica para isso, porém, já se pode planejar para o futuro.

     

     

    2 – O propagandista e ou o dono da  farmácia: deve fazer levantamento da carteira de prescritores que já prescrevem para a farmácia e de possíveis novos cadastros.

    3 – Dar prioridade num cronograma de visitas para aqueles prescritores que já tem um bom volume de prescrição para a farmácia – dar atenção para quem te dá atenção -.

    4 – Estabelecer no cronograma, os dias e horários da semana para uma rotina mensal de divulgação junto aos prescritores.

    5 – Preparar material de divulgação de acordo primeiramente com o que já se tem no estoque ou mp´s que queira lançar no mercado, porém é importantíssimo já ter no estoque ou ter um bom fornecedor que lhe garanta a entrega rápida da mp divulgada; 

    Preparar materiais de acordo com as analises que o sistema da farmácia apresentar em relação a quais as informações os prescritores estão direcionando para a farmácia, é sempre bom começar pelo que eles já conhecem, já gostam e precisam para o dia a dia, em seguida partir para novidades ao longo do relacionamento e afinidades com as prescrições dos mesmos.

    6 – Estudar detalhadamente o material e as características do prescritor a ser visitado: Antes de ir até o consultório, o propagandista precisa conhecer aquilo que estará divulgando, ou seja, posologia, indicações e contraindicações, interações, mecanismos de ação, principais benefícios dos ativos. Também é importante anotar percepções de personalidade do prescritor para ter mais habilidade no trato com o mesmo.

    7 – Estar preparado para dar suporte técnico aos prescritores, respondendo dúvidas ou sugestões e realizando um pós-venda qualificado.

    8 – Estabelecer uma comunicação integrada com os colaboradores da farmácia. Todos devem saber quais produtos estão sendo divulgados, dessa forma estarão mais preparados para atender o paciente e completar o ciclo de confiança:  farmácia -prescritor –paciente-farmácia.

    9 – Reavaliar estratégias de comunicação, acompanhar desempenho de prescritores após 3 à 6 meses de intensa visitação.  Estabelecer ciclos de divulgação de produtos e formulações. Sempre reavaliando resultados ao longo do período. A visitação médica é um processo de relacionamento a longo prazo que quando feito profissionalmente gera resultados extraordinários.

    10 – Realimentar esse processo contando com o auxílio de material científico de alto padrão e um método de aumento de faturamento com até 10 médicos em 3 meses de operação.

    Case de Sucesso

    Joana, farmacêutica há mais de 10 anos é proprietária de uma farmácia de manipulação no interior de Minhas Gerais com 7 colaboradores.

    Inquieta e guerreira como toda mulher batalhadora, queria ter mais resultados financeiros com a sua empresa (sim, farmácia é uma empresa, além, claro de um estabelecimento de saúde).

    Joana visualizou na visitação médica o caminho para o aumento do faturamento de sua empresa. Foi então que decidiu iniciar um processo estruturado de visitas aos prescritores.

    Auxiliada por nós da Pharmaceutical Consultoria, ela foi treinada e orientada com um método que possibilita o aumento de faturamento com até 10 médicos em até 3 meses de operação. O método consiste em técnicas simples de gerenciamento de relacionamento com a classe médica.

    Quando iniciou a parceria e o treinamento conosco, fornecemos a ela o material com artigos científicos de diversas especialidades (clique AQUI e veja exemplos) que ela mesmo escolhe em nosso site mês a mês, facilitando assim o que ela quer divulgar com os prescritores, e ela usa o material todo porque é ela quem escolhe cada assunto.

    O faturamento dela que girava em torno de R$ 73.000,00 foi para a casa dos R$ 108.000,00 nos 3 meses seguintes do início do método.

    Querida pessoa. Conte conosco em sua jornada.

    Somos apaixonados e temos imensa admiração pela profissão farmacêutica e pela farmácia magistral. 

    Abraços.

  • Coisas de Farmacêutico

    Seminário de GESTÃO MAGISTRAL com DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL

    - by Regis Luiz

     


    set2-footer


    set2-icon-facebook

    set2-icon-twitter

    set2-icon-linkedin


    set2-image5

    Seminário de
    Gestão Magistral
    com Diagnóstico
    Empresarial.
    20 e 21 de Novembro de 2017
    Hotel Transamérica – SP
    FAÇA SUA INSCRIÇÃOset2-icon-cart

    Questões Psicodinâmicas e
    Análise de Perfil Psicológico

    Estas perguntas são comuns para você?

    icon-check
    Não sabe como e quando escolher o sócio ideal para iniciar uma parceria;

    icon-check
    Sente que sua empresa tem potencial para crescer, mas não sabe como;

    icon-check
    Quer saber como vender mais e tirar seu negócio do vermelho;

    icon-check
    Não sabe delegar tarefas de forma correta e sem falhas;

    icon-check
    Quer se afastar do operacional, mas não sente segurança na sua equipe;

    icon-check
    Não consegue desenvolver as habilidades empreendedoras necessárias para o sucesso de um negócio;

    icon-check
    Tem dificuldade em conciliar o trabalho e o tempo com a família;

    icon-check
    Precisa constantemente injetar capital de giro de sua empresa;

    icon-check
    Trabalha em seu negócio mais de 12 horas por dia e se sente cansado;

    icon-check
    Resolve todos os problemas de sua empresa sozinho.

    Direcionamento para uso
    de ferramentas de crescimento
    e resultados na Farmácia


    set4-icon-computer

    Alcançar Objetivos Financeiros


    set4-icon-calenda

    Diminuir o Tempo Ocioso


    set4-icon-graph

    Aumentar seus Lucros


    set2-image12

    Adolfo Cabral

    O profissional responsável pela metodologia e condução do GD é Adolfo Cabral. Empreendedor e empresário do setor há mais de 19 anos, fundou sua primeira farmácia de manipulação aos 23 anos, quando contava apenas com dois funcionários. Hoje já conta com mais de 35 colaboradores em suas unidades de negócios. Atualmente Presidente da Comissão Magistral do CRF SC, Presidente da Anfarmag SC e Conselheiro Fiscal da Anfarmag Brasil, foi também  tesoureiro da Anfarmg Brasil por quase 10 anos consecutivos, entre outros diversos cargos no setor ao longo dos anos. Graduado em Farmácia pela UFSC, fez MBA em gestão empresarial pela FGV, Psicodinâmica aplicada a negócios pela Cogns e também é formado em Psicologia pela Unisul.

    Valor de Investimento
    R$ 3500,00*

    Neste valor está incluso:

    Diárias do Hotel, Café da Manhã e Almoço
    *Desconto Especial para os 5 primeiros inscritos.

    FAZER INSCRIÇÃO

    ENDEREÇO

    Hotel Transamérica São Paulo
    Av. das Nações Unidas, 18591
    Vila Almeida – São Paulo/SP

    CONTATO

    (48) 98415-1900
    [email protected]
    www.investfarma.com

    © 2017 Direitos Reservados Investfarma | Descadastrar

     

  • Conteúdo Magistral

    Redes de FARMÁCIAS MAGISTRAIS querem consolidar o mercado

    - by Regis Luiz

    Em um setor ainda dominado por micro e pequenas empresas, algumas franquias, como a Phitofarma, A Fórmula e a Farmafórmula, têm planos agressivos de expansão.

    Apesar do setor de farmácias de manipulação ainda ser dominado por micro e pequenas empresas, algumas redes do ramo têm se estruturado com planos agressivos de expansão. O movimento de companhias como a Phitofarma, Farmafórmula e A Fórmula sinaliza para uma tendência de maior profissionalização do segmento.

    Atualmente, segundo dados da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag) 94% das empresas do ramo são enquadradas no sistema tributário do simples. “Quando falamos de consolidação de companhias do setor temos que tratar como exceção, mas existem de fato algumas redes fazendo esse movimento”, diz o diretor executivo da entidade, Marco Fiaschetti.

    A Phitofarma, rede de franquias com forte atuação na região Sudeste, é um exemplo irrefutável disso. O presidente da companhia, Roger Oswaldo Marcondes, afirmou ao DCI* que a meta para os próximos cinco anos é chegar em pelo menos 300 unidades. Hoje são 40 operações. O foco da rede no processo serão as médias e pequenas cidades e, a partir de junho, a empresa iniciará a expansão também através da conversão de bandeiras.

    Para este ano, conta o empresário, a perspectiva é de 24 aberturas, das quais nove já estão com o contrato assinado. Em termos de faturamento a previsão da Phitofarma é um crescimento um pouco superior ao do ano passado, quando avançou 12% em termos nominais, faturando R$ 44,6 milhões.

    A rede de franquias A Fórmula, com 73 unidades espalhadas principalmente no Nordeste e Norte do País, também deve ver um crescimento expressivo nos próximos anos. O objetivo da empresa, de acordo com o gerente nacional, Bruno Costa, é atingir a marca de 100 operações nos próximos três anos. Assim como a concorrente paulista o foco no processo será a expansão por novas unidades e conversão de outras marcas.

    “Nos últimos três anos passamos por um processo de reestruturação do modelo de franquias. Agora, em 2017, estamos retornando a expansão, e muito forte por esses dois modelos”. Em relação ao faturamento, o empresário afirma que a expectativa da companhia é crescer entre 15% e 18% este ano. Em 2016, a rede faturou aproximadamente RS 80 milhões, com um avanço nominal de 10%.

     

    Dificuldade de crescer

    – Sobre o cenário do setor magistral, em que muitas redes encontram dificuldades para crescer, ambos os empresários afirmam que as questões burocráticas acabam retardando o crescimento das empresas. No setor, há uma série de exigências da vigilância sanitária para a abertura de novas unidades. As lojas precisam passar, por exemplo, por uma extensa avaliação antes de receber o aval para poder iniciar a construção dos pontos de venda.

    “As questões burocráticas acabam atrapalhando o ritmo de aberturas. Todas as inaugurações precisam passar pelo Projevisa (departamento dentro da Vigilância Sanitária), que analisa todo o processo. E essa análise muitas vezes pode demorar meses para ser concluída”, diz Costa, da A Fórmula.

    O presidente da Phitofarma, Roger Marcondes, vai na mesma linha e afirma que as vigilâncias estaduais e municipais são o grande entrave do setor. “São muitas vezes mal preparadas, com burocracia imensa, o que acaba inibindo a expansão”, diz, acrescentando que, em alguns casos, depois de alugado o imóvel a vigilância pode demorar até seis meses para permitir que a unidade abra as portas.

    Outra rede que se queixa dos entraves burocráticos é a Farmafórmula, que possui 80 lojas e forte atuação no Nordeste. A companhia, que tem planos de abrir mais seis unidades este ano, também afirma que a demora para a aprovação das aberturas acaba atrapalhando o crescimento da rede. De acordo com o diretor da companhia, Julio Maia, outro aspecto que desacelerou os planos de aberturas foi a crise. “Tinhamos um propósito, há três anos atrás, de abrir ao menos 12 franquias ao ano. Com a recessão, diminuímos um pouco a meta”, afirma.

    No caso específico da empresa, a necessidade de ter um farmacêutico na composição societária da franquia é um ponto que também acaba tornando a expansão um pouco mais lenta, em comparação com outros segmentos do comércio.

    A Farmafórmula viu um crescimento, no ano passado, de 7,1% em valor. Já em número de fórmulas vendidas a rede empatou, em comparação com o ano anterior. Agora, em 2017, o empresário afirma que a rede já começou a ver uma gradativa melhora no volume de vendas, e está trabalhando com a perspectiva de crescimento de 10%. “As farmácias de manipulação estão em expansão no País. Ainda são poucas redes atuando por franquias e buscando uma consolidação maior, mas a tendência é que isso aumente.”

     

    Fonte: Diário Comércio Indústria e Serviços DCI – SP

Carregar Mais