Atendimento telefônico: 48. 3234-7247 ou 48. 3364-7247
Somos feitos de ideias. Cresça conosco.
 

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (Obrigatório)

Seu telefone (com DDD) (Obrigatório)

Assunto

Mensagem

captcha

Reconhecimento

Desde 2007 entregando o melhor conteúdo para o crescimento das farmácias e farmacêuticos magistrais.

Siga-nos

Nosso Endereço

Rua Santa Luzia 100
The Place Office Sala 206
Florianópolis, Ilha da Magia SC
Brasil

Telefones: 48. 3234-7247  | 3364-7247
Email: [email protected]

Postado com tags de ‘Farmácia de Manipulação’

  • Visitação Médica

    Passo a passo para VISITAÇÃO MÉDICA na prática por FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO

    - by Regis Luiz

    VISITAÇÃO MÉDICA NA PRÁTICA

    Segundo pesquisa recente, cerca de 73% dos empresários magistrais afirmam que a intensificação da visitação médica proporciona aumento significativo no faturamento da farmácia.

    O processo de visitação médica é bastante simples, quando planejado para tal. Deve ser encarado como um motor indispensável para o bom funcionamento do faturamento a farmácia e também do relacionamento de longo prazo com os prescritores para garantir sustentabilidade e perpetuar a relação entre farmácia e médicos.

    Vamos aos passos:

    1 – Definir junto à equipe quem será o propagandista (não é necessário ser farmacêutico, pode ser o dono da farmácia – bastante recomendado pelo relacionamento e por ser quem melhor “vende” sua farmácia –  pode-se treinar alguém dentro da equipe). Não há necessidade de num primeiro momento criar uma área específica para isso, porém, já se pode planejar para o futuro.

     

     

    2 – O propagandista e ou o dono da  farmácia: deve fazer levantamento da carteira de prescritores que já prescrevem para a farmácia e de possíveis novos cadastros.

    3 – Dar prioridade num cronograma de visitas para aqueles prescritores que já tem um bom volume de prescrição para a farmácia – dar atenção para quem te dá atenção -.

    4 – Estabelecer no cronograma, os dias e horários da semana para uma rotina mensal de divulgação junto aos prescritores.

    5 – Preparar material de divulgação de acordo primeiramente com o que já se tem no estoque ou mp´s que queira lançar no mercado, porém é importantíssimo já ter no estoque ou ter um bom fornecedor que lhe garanta a entrega rápida da mp divulgada; 

    Preparar materiais de acordo com as analises que o sistema da farmácia apresentar em relação a quais as informações os prescritores estão direcionando para a farmácia, é sempre bom começar pelo que eles já conhecem, já gostam e precisam para o dia a dia, em seguida partir para novidades ao longo do relacionamento e afinidades com as prescrições dos mesmos.

    6 – Estudar detalhadamente o material e as características do prescritor a ser visitado: Antes de ir até o consultório, o propagandista precisa conhecer aquilo que estará divulgando, ou seja, posologia, indicações e contraindicações, interações, mecanismos de ação, principais benefícios dos ativos. Também é importante anotar percepções de personalidade do prescritor para ter mais habilidade no trato com o mesmo.

    7 – Estar preparado para dar suporte técnico aos prescritores, respondendo dúvidas ou sugestões e realizando um pós-venda qualificado.

    8 – Estabelecer uma comunicação integrada com os colaboradores da farmácia. Todos devem saber quais produtos estão sendo divulgados, dessa forma estarão mais preparados para atender o paciente e completar o ciclo de confiança:  farmácia -prescritor –paciente-farmácia.

    9 – Reavaliar estratégias de comunicação, acompanhar desempenho de prescritores após 3 à 6 meses de intensa visitação.  Estabelecer ciclos de divulgação de produtos e formulações. Sempre reavaliando resultados ao longo do período. A visitação médica é um processo de relacionamento a longo prazo que quando feito profissionalmente gera resultados extraordinários.

    10 – Realimentar esse processo contando com o auxílio de material científico de alto padrão e um método de aumento de faturamento com até 10 médicos em 3 meses de operação.

    Case de Sucesso

    Joana, farmacêutica há mais de 10 anos é proprietária de uma farmácia de manipulação no interior de Minhas Gerais com 7 colaboradores.

    Inquieta e guerreira como toda mulher batalhadora, queria ter mais resultados financeiros com a sua empresa (sim, farmácia é uma empresa, além, claro de um estabelecimento de saúde).

    Joana visualizou na visitação médica o caminho para o aumento do faturamento de sua empresa. Foi então que decidiu iniciar um processo estruturado de visitas aos prescritores.

    Auxiliada por nós da Pharmaceutical Consultoria, ela foi treinada e orientada com um método que possibilita o aumento de faturamento com até 10 médicos em até 3 meses de operação. O método consiste em técnicas simples de gerenciamento de relacionamento com a classe médica.

    Quando iniciou a parceria e o treinamento conosco, fornecemos a ela o material com artigos científicos de diversas especialidades (clique AQUI e veja exemplos) que ela mesmo escolhe em nosso site mês a mês, facilitando assim o que ela quer divulgar com os prescritores, e ela usa o material todo porque é ela quem escolhe cada assunto.

    O faturamento dela que girava em torno de R$ 73.000,00 foi para a casa dos R$ 108.000,00 nos 3 meses seguintes do início do método.

    Querida pessoa. Conte conosco em sua jornada.

    Somos apaixonados e temos imensa admiração pela profissão farmacêutica e pela farmácia magistral. 

    Abraços.

  • Farmácia de Manipulação

    A Melatonina vai muito além de estabilizar o ritmo e a qualidade do sono. Confira!

    - by Pharmaceutical Consultoria

    Quem costuma trazer um carregamento de cápsulas de melatonina toda vez que viaja ao exterior já NÃO precisa mais fazer isso, e pode comemorar: o hormônio foi recentemente liberado pela Anvisa para ser comercializado no Brasil em forma de medicamento manipulado.

    Hormônio do sono agora é achado em farmácias de manipulação e é somente liberado para ser comercializado por elas.

    A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, que auxilia os ritmos biológicos, em especial o ciclo do sono e vigília. Em ambientes escuros e calmos, os níveis de melatonina aumentam, melhorando o sono, e é para isso que, normalmente, as pessoas buscam a versão medicamentosa.

    A reposição dessa melatonina, porém, não é necessária na maior parte dos casos. “A melatonina não é um suplemento. É um hormônio natural cuja ausência, redução ou hiperprodução pode provocar alterações no sono, e essas sim precisam ser corrigidas”, diz José Cipolla Neto, pesquisador em neurofisiologia e neuroendocrinologia da Universidade de São Paulo (USP).

    Idosos com Alzheimer, pessoas com espectro de autismo, pacientes com distúrbios metabólicos ou crônicos de sono podem precisar da reposição de melatonina, mas apenas eles.

    O atraso na produção da melatonina ocorre sempre que se deixa alguma luz acesa, ou mesmo pela luz noturna ambiente. Também ocorre quando se usa aparelhos eletrônicos de LED antes de dormir ou se a pessoa precisa tomar um medicamento beta bloqueador.

    A redução na produção da melatonina pelo organismo pode provocar distúrbios de crescimento e até mesmo deficiência insulínica.

    A melatonina vai muito além de estabilizar o ritmo e qualidade do sono, apresenta envolvimento em diversas outras funções fisiológicas e doenças:

    – Autismo: Estudo demonstrou que a suplementação de melatonina em crianças com espectro autista proporcionou aumento da quantidade e da qualidade do sono, com consequente melhoria do comportamento durante o dia;

    – Câncer: Previne o crescimento de tumores, inibindo a proliferação e a capacidade de invasão das células de câncer;

    – Ação antioxidante: A melatonina reduz o estresse oxidativo, através da redução e/ou eliminação de reagentes de oxigênio e nitrogênio produzidos na mitocôndria.

    – Diabetes: Estudo demonstrou uma associação entre a diminuição da secreção de melatonina durante o sono e um risco maior de desenvolvimento para o diabetes tipo 2.

    A Pharmaceutical disponibiliza para as farmácias de manipulação um Guia Completo da Melatonina Manipulada. Inédito e inovador, contém a farmacoténica detalhada das preparações deste hormônio e também disponibiliza um material para divulgar com os médicos e profissionais prescritores. Aliás, consta no material quem pode e quem não pode prescrever e como prescrever. Confira mais detalhes no link. Clique AQUI.

  • Hormônio

    Ter orgasmo e beber vinho trazem mesmo efeito ao corpo; veja

    - by Regis Luiz

    Pesquisadores britânicos da Birmingham University concluíram que ficar apaixonado, ser mãe, ter um cachorro e beber entre um e dois drinques têm muito em comum. Isso porque todos estes itens causam as mesmas sensações no corpo, algumas pelo consumo de álcool, outras porque aumentam a liberação da ocitocina, substância conhecida como “hormônio do amor”.

    Além do bem estar, ela aumenta ainda a confiança, a generosidade e a empatia nas pessoas.

    As maiores concentrações de ocitocina são produzidas na gestação e trabalho de parto , mas o hormônio também é liberado pelo corpo durante o orgasmo, momentos de carinho entre namorados ou com o bicho de estimação. Em todas estas situações, ele produz um bem estar comparado ao efeito do álcool após poucos drinques, como uma ou duas taças de vinho.
    A ocitocina, que em alguns países é vendida em formato de spray nasal, ajuda a relaxar e é usada em momentos de apuros e ansiedade como um primeiro encontro ou entrevista de emprego. No entanto, os especialistas alertam para as formas mais naturais de se atingir estes níveis de bem estar. “Se estiver ansioso para um compromisso, um abraço apertado do parceiro pode ajudar muito”, explica Ian Mitchell, responsável pela pesquisa.
    No entanto, o hormônio tem um lado negro: aumenta o medo do desconhecido e a agressividade. Isso porque o álcool e a ocitocina deixam as pessoas mais relaxadas, reduzem a noção de perigo levando a correr riscos que em outros momentos pareceriam situações improváveis. Toda esta tendência de comportamento pode causar agressividade, arrogância e raiva. Inclusive, os estudiosos concluíram que psicopatas produzem 10 vezes mais este hormônio.
    Mas se estiver pensando que é estranho o mesmo hormônio ser capaz de produzir bem estar, relaxamento instântaneo e também raiva, os médicos esclarecem que esta combinação faz todo sentido já que é a ocitocina que comanda o sentimento de proteção das mães em relação aos filhos, momento que a agressividade entra em ação.
    Eles explicam ainda que estas descobertas são válidas para o uso do hormônio em diversos tratamentos que vão desde a anorexia até o autismo. “Não acho que veremos a ocitocina ser usada socialmente como uma alternativa ao álcool, mas é um fascinante neuroquímico e tem possibilidades reais de ser usado em tratamentos psicológicos e psiquiátricos. Entender como exatamente ele cria e altera o comportamento pode trazer muitos benefícios”, afirma Dr. Steven Gillespie, outro especialista no assunto.
    Com informações portal Terra
  • Farmacotécnica

    O que é Excipiente, veículo e QSP?

    - by Regis Luiz

    Excipiente: substância inerte incorporada como veículo a certos medicamentos.
    Q.S.P.: em Quantidade Suficiente Para… 1g (um grama), por exemplo.
    Veículo: Meio líquido no qual o princípio ativo (PA) está disperso, um xarope é um veículo.
    Princípio Ativo (PA): toda substância existente na composição de um medicamento que é responsável pelo seu efeito terapêutico. Geralmente é utilizado como sinônimo de fármaco, substância ativa e nome genérico.

    (Houaiss)

Carregar Mais