Atendimento telefônico: 48. 3234-7247 ou 48. 3364-7247
Somos feitos de ideias. Cresça conosco.

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (Obrigatório)

Seu telefone (com DDD) (Obrigatório)

Assunto

Mensagem


Reconhecimento

Desde 2007 entregando o melhor conteúdo para o crescimento das farmácias e farmacêuticos magistrais.

Siga-nos

Nosso Endereço

Rua Santa Luzia 100
The Place Office Sala 206
Florianópolis, Ilha da Magia SC
Brasil

Telefones: 48. 3234-7247  | 3364-7247
Email: pharmaceutical@pharmaceutical.com.br

Combo 04 – Regulamentação

Combo 04 – Regulamentação

Combo 04 – Regulamentação

R$163,00

Este Combo é formado pelos seguintes itens:

  •  Roteiro de Autoinspeção para Farmácia;
  •  Roteiro de Qualificação de Fornecedores;
  •  Manual para Solicitação de AFE.

Editável: Não

Tipo de arquivo: PDF

Baixável: Download imediato após confirmação do pagamento. Acesse sua área do cliente.

Você pode adquirir através de boleto ou cartões de credito

Categoria Tag:
00000

Roteiro de Autoinspeção para Farmácias

59 páginas, 01 POP

O Roteiro de Autoinspeção é uma exigência da RDC 67/2007 para verificar o cumprimento de todas as normas estabelecidas na mesma.

O roteiro contempla todos os itens mencionados na RDC 67/2007 que institui as BPM (Boas práticas de Manipulação) nas farmácias. Ele serve também para diagnosticar pontos fracos na empresa e elaborar um plano de ações corretivas para que o processo fique ajustado às exigências legais.

Neste roteiro você encontra o questionário completo para que sua farmácia trabalhe com ética e responsabilidade.

Roteiro de Autoinspeção SBIT: Parte do Roteiro de Autoinspeção que contempla os medicamentos de baixo índice terapêutico.

Roteiro de Autoinspeção – Hormônios: parte do roteiro de autoinspeção que contempla a manipulação de hormônios, citostáticos e medicamentos sujeitos a controle especial.

Roteiro de Qualificação de Fornecedores

18 páginas, 01 POP

O fabricante deve ser responsável pela qualidade dos medicamentos que produz, pois somente ele está em condições de evitar erros e acidentes mediante uma atenta vigilância nos seus procedimentos de fabricação e inspeção. (BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA, 1995).

A RDC nº 67 de 8 de outubro de 2007 diz que as farmácias devem adquirir matérias primas apenas de fornecedores qualificados. Para o processo de qualificação, a mesma RDC diz que devem ser feitas auditorias e levantamentos de dados dos fornecedores, bem como o controle de qualidade das matérias primas fornecidas. A fim de regulamentar as práticas das farmácias de manipulação, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou em 8 de outubro de 2007 a RDC nº 67, onde estabelece que as farmácias devem adquirir suas matérias primas de fornecedores qualificados. Além disso, ainda enumera as etapas que devem ser feitas para a qualificação dos fornecedores, tais como:

  1. Qualificação
  2. Avaliação
  3. Auditorias
  4. Avaliação do histórico

Neste POP você encontra tudo que precisa para realizar a qualificação dos seus fornecedores e trabalhar de acordo com a legislação, com ética e segurança.

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO PRELIMINAR

  1. Informações Gerais;
  2. Organização;
  3. Instalações e Edificações;
  4. Sistema de Qualidade;

ROTEIRO PARA QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES

  1. Informações Gerais;
  2. Questionário de Avaliação;
  3. Documentos Necessário;

Manual para Solicitação de AFE

07 páginas, 01 Manual

A AFE ( Autorização de Funcionamento) é uma autorização inicial necessária para empresas privadas que forneçam produtos ou serviços regulados pela ANVISA( Agência Nacional de Vigilância Sanitária) sejam elas armazenamento, distribuição, embalagem, expedição, exportação, extração, fabricação, fracionamento, importação, produção, purificação, reembalagem, síntese, transformação ou transporte de medicamentos e insumos farmacêuticos destinados a uso humanos, produtos de saúde, cosméticos, produtos de higiene pessoal, perfumes, saneantes e envase.

Visando facilitar essa burocracia a ser realizada pelo farmacêutico, desenvolvemos um manual com os 6 passos para tal peticionamento de forma explicativa com ilustrações das telas a serem acessadas durante o processo.

1º Passo – Cadastramento;
2º Passo – Alteração do porte da empresa (opcional);
3º Passo – Peticionamento;
4º Passo – Taxas;
5º Passo – Protocolo;
6º Passo – Acompanhamento;
7º Passo – Publicação.

*Imagem meramente ilustrativa – Material disponibilizado através de download.
Não incluindo assim versão impressa e nem CD.